Blog

Saiba o que é remarketing e como ele ajuda impactar novamente seu público-alvo

Blog_Remarketing_Adove

O remarketing é uma estratégia que já vem sendo utilizada a muito tempo atrás. Antes mesmo de sabermos, já usávamos ela para fixar nossa marca na mente dos consumidores.

Pensando nisso, hoje queremos falar com você a respeito dela. Vamos apresentar seu conceito, onde ela pode ser utilizada – principalmente no on-line – seus benefícios e muitas outras informações relevantes. Continue a leitura!

O que é remarketing?

O remarketing é uma maneira de impactar mais de uma vez o mesmo público. É uma forma de reforçar a mensagem do seu negócio a alguém que já teve algum contato com sua marca. Então, esse é um dos critérios para se fazer remarketing: a pessoa que está sendo impactada precisa ter tido algum contato anterior com a sua empresa.

Conforme definição do Google Ads, o remarketing ajuda a alcançar pessoas que visitaram o seu Website ou utilizaram a sua aplicação para dispositivos móveis anteriormente. Os visitantes ou utilizadores anteriores podem ver os seus anúncios à medida que navegam em Websites que fazem parte da Rede de Display da Google ou quando pesquisam termos relacionados com os seus produtos ou serviços no Google.

Ao pesquisarmos sobre o assunto, o Neil Patel, um dos maiores gurus do SEO, pontuou algumas questões importantes sobre o remarketing, mais especificamente alguns canais onde ele pode ser utilizado. Segundo ele, essa estratégia pode ser aplicar nos meios off-line, telefone, e-mail, redes sociais e o retargeting – que muitas vezes é confundido com o remarketing – é uma subdivisão do remarketing. Ou seja, ele acaba por ser uma ferramenta dentro desta estratégia principal. Vamos explicar a diferença entre os dois mais adiante.

Porém, queremos falar primeiro sobre as possibilidades de remarketing que podem ser trabalhadas.

Off-line – Outdoors e placas

Sabe aquelas placas em formato de cavaletes que ficam próximos de restaurantes anunciando alguma promoção e que todo dia você passa na frente e vê? Isso é remarketing. O fato de você ser exposto a essa mensagem mais de uma vez torna a ação parte da estratégia.

Ela também se aplica a um outdoor, por exemplo. Mesmo que a mensagem seja curta, o fato dela ficar exposta por duas semanas, acaba gravando em sua mente, podendo gerar uma necessidade de compra daquele produto/serviço.

Um exemplo da estratégia de remarketing em outdoors é o Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem de Joinville. Em um trecho da BR 101 existem três ou quatro outdoors um logo depois do outro que falam das especialidades do hospital.

Outra empresa que utiliza essa estratégia e reforça a marca através da repetição dos outdoors ao longo do caminho é a Weg. Também na BR 101 ela utiliza outdoor com um espaço de intervalo entre um e outro – no caso são três ou quatro também – para falar das áreas que são trabalhadas pela empresa.

Telefone

Ainda existem hoje comerciais de televisão que possuem grande parte da programação – se não toda – focada na venda de produtos. Voltando a alguns clássicos de anos atrás, você lembra da Polishop?

Além do fato de trabalhar a questão da repetição, ao ligar para tirar qualquer dúvida eles salvavam seu número de telefone e ligavam em um momento específico para oferecer uma oferta especial. Hoje isso é comum com empresas de telefonia e bancos.

E-mail

Quando você lança um curso na internet, por exemplo, para que a pessoa receba maiores informações, você solicita o e-mail dela em uma Landing Page – página de conversão.

Ao longo da jornada de compra você pode nutrir esses contatos até que chegue o momento que você oferece o curso – mas isso não significa que todos irão comprar.

Depois de um tempo, quando você relançar o curso ou acrescentar mais aulas ao que já está no ar, você pode criar uma campanha de e-mail marketing e convidar esses leads que não converteram a comprarem desta vez no curso. Ou seja, você trabalha o remarketing, onde tem a possibilidade de enviar promoções específicas para determinados leads.

Mas essa estratégia focada em e-mail está focada também no e-mail do carrinho de compras abandonado.

Ao verificar que de 50 pessoas que visitaram seu site, 40 abandonaram o carrinho antes de fechar a compra, você pode enviar um e-mail questionando porque a pessoa desistiu da compra e ainda pode oferecer um desconto exclusivo com o intuito de que ela finalize naquele momento, por exemplo.

Você não só estará aumentando suas chances de fechar essas vendas que pareciam perdidas, como também mostrará que se importa com o possível cliente e que ajudá-lo a encontrar o que ele precisa.

Redes sociais

Se uma pessoa passa a curtir a página da sua empresa no Facebook e no Instagram, automaticamente começam a aparecer a ela suas publicações recentes. Quanto essa pessoa interagir com sua marca nas redes sociais, mais as atualizações irão aparecer a ela.

Quando essas pessoas estiverem engajadas, você pode executar campanhas que tenham elas como alvo. Assim, além de se fazer presente de forma constante no dia a dia delas, você poderá se utilizar dessa presença para coletar mais informações e oferecer depois de um tempo o seu produto/serviço que poderá atender as necessidades delas.

Agora, antes de falarmos sobre como funciona e quais os benefícios do remarketing, é importante que você entenda mais sobre as diferenças entre ele e o retargeting.

Remarketing e Retargeting: qual a diferença?

Como já falamos, o retargeting pode ser considerado uma forma de ação dentro de remarketing.

Geralmente limitado apenas ao e-mail marketing, o remarketing também pode ser aplicado em ações em canais como telefone, outdoor, placas, redes sociais e assim por diante.

Já o retargeting tem como objetivo o tráfego na web, focando na conversão de pessoas que já estão interessadas nas ofertas da sua loja virtual e que podem ter abandonado o carrinho antes da compra, por exemplo.

Para que serve o remarketing?

O principal objetivo dele é aumentar a taxa de conversão, ou seja, as vendas. Isso porque, raros são os usuários que realizam uma compra na primeira visita em um site.

Então, a ideia de se fazer presente ao consumidor é de que, enquanto ele não se decide, a marca possa continuar na mente dele.

Como ele funciona?

Um exemplo prático de remarketing on-line é mencionado pela Resultados Digitais. Você está procurando no Google por “Software de Marketing Digital” e clica em um anúncio pago na página de resultados.

Quando você entra no site do anúncio, um cookie (que funciona como se fosse um carimbo) é armazenado em seu computador, possibilitando que o Google te identifique e exiba posteriormente para você anúncios deste mesmo site em outros sites parceiros que abrem o espaço para anúncios (Rede de Display) ou nas páginas de resultados (Rede de Pesquisa).

Dessa forma, você será impactado por novos anúncios durante algum tempo, para convencê-lo a fazer a conversão. Geralmente o período do remarketing é de 30 dias, mas pode variar, de acordo com a plataforma e as configurações utilizadas.

Quais são as vantagens do remarketing?

  • Recupera intenções de compra não realizadas
  • Colabora para campanhas de anúncios com maior CTR
  • Aumenta as conversões
  • Permite o envio de e-mail marketing personalizado
  • Conversa mais próxima com os clientes
  • Maiores chances de fidelizar o usuário
  • Conquista para o seu negócio leads mais qualificados
  • Otimiza os recursos destinados as campanhas de marketing
  • Reforça a sua marca na mente do consumidor.

Dicas para montar uma campanha de remarketing

  • Realize a segmentação dos públicos: quanto mais características você captar dessas pessoas que trafegam pelo seu site, mais fácil se torna segmentá-las de acordo com as ações tomadas. Assim, mais personalizadas se tornam suas abordagens de remarketing, seja em uma promoção de e-mail marketing ou anúncio de display, por exemplo.
  • Tenha boas Landing Pages: o anúncio precisa levar o usuário a um lugar em que ele não tenha muitas distrações. A LP precisa responder todas as possíveis dúvidas do consumidor, deixando ele mais propenso a compra.
  • Faça análises constantes: acompanhar o CPC (Custo por Clique) e o CPA (Custo de Aquisição) – métricas básicas nesta estratégia – contribui para identificar se os resultados que estão sendo alcançados no marketing são os almejados pelo seu negócio.
  • Não exagere na repetição: mesmo que a ideia seja fixar sua marca na mente do usuário, é preciso que a estratégia seja bem pensada. Ou seja, que ela não se torne entediante ao consumidor com a repetição exagerada.
  • Tenha uma ferramenta de automação de e-mail marketing: essa organização e armazenamento das informações de cada usuário é muito mais fácil com um software de automação. E ainda, se torna mais prático analisar os dados e verificar o que pode ser enviado a cada pessoa de acordo com a segmentação.

E então?

Você viu que falamos sobre o que é o remarketing, onde pode ser utilizado e qual a diferença entre ele e o retargeting. E ainda, para que serve, como funciona, benefícios e algumas dicas para montar uma campanha com essa estratégia.

Ele pode parecer simples, mas demanda dedicação e análise constante das métricas. Os resultados podem ser muito bacanas se houver um planejamento muito bem estruturado.

Como já comentamos, é importante criar uma conexão com o usuário demonstrando entendimento do que ele precisa. Ou ainda, oferecendo o produto que ele ainda não fechou a compra com um preço mais atrativo. Porém, tenha cuidado para não tornar esse contato desagradável.

É preciso entender as personas do seu negócio e então ir em busca delas para trabalhar também o remarketing. Quanto mais específicas e personalizadas forem suas ações, mais leads qualificados e clientes com maior possibilidade de fidelização você terá.

Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Escreva nos comentários!

Entre em contato agora
e vamos juntos alavancar sua empresa!