Blog

Sua empresa já usa Growth Hacking em suas estratégias?

Recentemente, o termo Growth Hacking tem ganhado espaço no mundo do marketing digital e entre os empreendedores. Esses mercados estão em evolução constante e gerando novas táticas, estratégias e conceito a todo tempo. O Growth Hack é mais um deles: ele busca formas eficazes e com menores custos para que a empresa tenha um crescimento de alto impacto rapidamente. O conceito busca brechas que facilitem o caminho da empresa para o sucesso. Veja aqui como sua empresa pode começar a entender sobre ele e implementar no seu negócio!

O que é

O termo Growth Hacking foi inventado por Sean Ellis e popularizado em 2010. A definição mais correta, segundo ele, é “marketing orientado a experimentos”. Ou seja, encontrar oportunidades/brechas (hacks) para o sucesso e criar estratégias específicas visando resultados rápidos para o crescimento (growth) da empresa.

Em português, por ser uma expressão, growth hacking não tem tradução e é difícil ser literal a respeito de seu significado.

As palavras de forma isolada significam:

  • Growth – crescimento.
  • Hack – brecha, espaço, corte.
  • Hacking – o ato de encontrar e explorar essas brechas e espaços.

Sendo assim, entende-se o growth hacking como a prática de encontrar “gatilhos” que, ao serem acionados, promovem um crescimento acelerado!

Outras visões foram aparecendo ao longo do tempo. Andrew Chen levou o conceito para um público mais amplo em um post intitulado “Growth Hacker é o novo VP de Marketing”. Ele escreveu que os profissionais que atuam com Growth Haking (os Growth Harckers) “são um híbrido híbrido entre profissionais de marketing e programadores”, que respondem à tradicional pergunta ‘como conseguir clientes para o meu produto’ com testes A/B, landing pages, virais, técnicas para fazer os e-mails chegarem a seus destinatários e metadados…”

O perfil do profissional

“Acelerar o crescimento” é o objetivo principal. Portanto, o profissional Growth Hacker é o agente acelerador. Ele é a pessoa que entende muito bem de tecnologia e se dispõe a dominá-la cada vez mais, com o diferencial de usar todo esse conhecimento para o crescimento de empresas. Ou seja, possuir conhecimento técnico e prático de marketing é apenas um dos requisitos.

O Growth Hacker precisa conhecer profundamente aspectos como: a psicologia do consumidor; a tecnologia; os processos envolvidos na jornada de compra; e os métodos de experimentação. E, dentre esses conhecimentos, o mais relevante é o que trata do comportamento do consumidor durante a jornada de compra. O principal é entender que o comportamento dos clientes, a exemplo das tendências de mercado, também sofre influência de aspectos sociais, políticos, econômicos e culturais. Assim, conhecendo não somente o comportamento do público diante do mercado, mas também as características que mais influenciam no poder de compra, é possível unir o conhecimento a respeito de Marketing e Tecnologia para encontrar tendências e gatilhos que podem resultar em experimentos e, finalmente, traçar estratégias.

Então não é só Marketing?

Pois é, o conceito não se resume só ao setor de marketing. Há um número extenso de decisões que ultrapassam a área. Dessa forma, não faz muito sentido colocar o profissional, ou time de Growth Hacking, apenas junto com o departamento de marketing. Para cada decisão que uma empresa tomar, seja no RH, na área de vendas, no financeiro ou no próprio marketing, o Growth Hacker deve perguntar: “em que isso vai impactar no crescimento do negócio?”

Dicas e táticas de Growth Hacking funcionais para (quase) qualquer empresa:

  1. Enviar o tráfego pago para as páginas de captura

Em vez de direcionar os tráfegos pagos para a página inicial, direcione-os já para a captura. O tráfego pago é uma das ferramentas de aquisição mais eficazes em termos de velocidade e ROI (Retorno Sobre Investimento). Existe uma prática entre empreendedores digitais que aconselha que os visitantes precisam se mover rapidamente através de seu funil ou eles irão sair. Enviando tráfego para uma página de captura – que aborda o que você está vendendo – os visitantes se sentem mais compelidos a comprar ou saber mais.

  1. Invista em uma marca pessoal

Alguns hackers internacionais bem conhecidos, como Elon Musk, Richard Branson e Tim Ferris, não consolidaram o crescimento de seus negócios de maneira típica. Eles abriram caminho antes, gerando resultados com seus próprios nomes. Se você pode se tornar uma “celebridade” em seu ramo de negócios, então você estará bem posicionado para começar a gerar crescimento. Isso nem sempre é simples! Para se tornar conhecido, é preciso bastante trabalho duro. Use o próprio marketing e elabore ações de conteúdo para tornar isso cada vez mais palpável.

  1. Entenda e utilize seus dados

O conceito de Growth Hacking é obsessivamente focado em dados. Sem os dados e a nálise correta deles, não há resultados. É essencial que você entenda os principais indicadores de desempenho (KPIs), coeficientes virais, testes variados e outras métricas importantes. Dados não são apenas números, são informações. Você precisa de informações de desempenho de conteúdo, dados de aquisição de leads, informações de clientes e outras coisas acionáveis. Esteja que o Google Analytics sozinho não faz milagres, você precisa decifrar seus dados e transformá-los em ações estratégicas.

  1. Forme uma equipe

Além de estudar para “se tornar” um Growth Hacker, você pode avaliar a contratação de hackers de crescimento para sua empresa. Muitos deles são “multitarefa”, realizando seus trabalhos com foco no crescimento da empresa. Se você quiser formar uma equipe de alta performance, deve contratar pessoas que sejam realmente boas. E colocar os conhecimento teóricos em prática se quiser fazer a diferença no mercado.

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado

    Categorias